Delírios de Ophélia

A Cumplicidade de Rá

Amor arde como fogo,

Como sol.

Dói como uma ferida aberta.

A carne estremece com a vinda da bem-amada

Meu cansaço encontra o descanso

Em teu seio suave,

Cheiroso,

Macio.

Mais aconchegante que qualquer travesseiro.

As mãos enlaçam,

Acariciam,

Espalham

E

Enxugam

O suor que cobre o teu corpo.

Os corpos fluem,

Flutuam

Levados pelo calor da paixão,

Do desejo de possuir um ao outro.

Cada qual com mais intensidade,

Mais vontade,

Mais prazer.

Assim nossos corpos se entrelaçam

Freneticamente,

Vêm e vão

Levados pelo amor

Exalado pelos poros.

A noite cai serena,

Quieta,

Para não atrapalhar nosso amor.

A aurora surge em silêncio

Para não dispersar nossa paixão.

O sol sorri diante de nossa janela

Ao ver dois corpos inertes

Abraçados,

Adormecidos e

Cansados

Depois de uma noite de amor intenso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s