Delírios de Ophélia

Beco do esquecimento 

Esquecer-te tornara minha maior obsessão,

Mais que isso,

Uma necessidade

Não que eu quisesse,

Mas por que era necessário

Arrancar este sentimento de dentro de mim

Era vital

Era a droga para manter minha sanidade mental

O antídoto

Para o mal que me fazia a tua ausência
Para tanto, criei uma espécie de ritual

Que consistia em entrar naquele beco escuro,

Com ar fúnebre,

Todas as noites

Eu, o beco e o bréu

Sentia-me uma morta entre os vivos

Sentava-me no chão

Observava com dificuldade as pichações nas paredes

Desenhos incompreensíveis

O oposto dos meus sentimentos,

Que eram tão claros e evidentes,

Quase palpáveis,

Muitos rabiscos

Tudo confuso como  a ambiguidade

Entre a cabeça e o coração

Eu precisava apagar os desenhos

Eu precisava apagar você de mim

Eu precisava desenhar por cima

Algo belo, colorido

Eu precisava tirar este aspecto sombrio de minha alma

Chorava

Chorava compulsivamente

Tomei um banho de chuva

Em minhas próprias lágrimas

Eu não queria partir

Eu não queria deixar você partir

Porém era necessário.

Fora Temer pichado

E eu aqui tentando arrancar você de dentro de mim

Fora você!

Chorava de novo

Fora Temer

Fora você

Só pensava nisso

Mas como faria?

De certo pediria teu impeachment.

Ou te acusaria por lesão corporal dolosa

Sim, você feriu meu coração

Você sabe bem disso

E não finja que não estou falando com você!

Rio compulsivamente

Acho mesmo que enlouqueci

Calma, Ophélia… penso

Tento me acalmar através dos exercícios de respiração que aprendi no YouTube

E logo vem a ânsia de vômito

Minha ansiedade causa enjoo

Respira, respira, respira

Sinto um cheiro forte de urina

Aquele beco era quase um banheiro a céu aberto

O que estava eu fazendo ali?

Além de ver com dificuldade os desenhos desconexos

Sentir cheiro de urina

Logo seria assaltada

Ah sim, fora Temer

Um bêbado passa e conta-me uma história triste

Eu lhe pergunto se ele comeria meu coração

Ele diz que não e se afasta

Ao longe ouço ele dizer:

“Mulher louca”

Sim, desde que a conheci enlouqueci

Consigo lembrar o que eu estava fazendo ali

Era o meu beco do esquecimento

Mas ele me dava reação adversa

Quanto mais fugia de ti

Mas te encontrava

O beco do esquecimento era só uma ilusão

Esquecer-te era só uma ilusão

Mas um dia eu me vingo

E no último dia que fui ao beco

Comprei tinta e escrevi

“Vingança é muito bem vinda se utilizada como convém. Se alguém disser que te ama, vingue-se dele e ame-o também”

Afinal amor que serena não termina!

Adeus beco do esquecimento!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s