Delírios de Ophélia

O fim é o remédio

Se você está por perto

Meu mundo se faz completo

Sem sua presença

Tudo é frio e sombrio 

Eu não existo sem ti 

Meus dias não têm cor

Teu silêncio mordaz 

Dilacera a minha carne

Corta minhas entranhas 

Tudo dói

A dor corrói

O ar me falta

Sem teus olhos em minha direção

Seu sorriso para um outro alguém…

Ferida que não cicatriza 

Quanto mais oculta

Mais sangra

É veneno

Sem soro 

Que me inunda 

É remédio

O canto da sereia

Encanta 

Deprime 

Fere

Sangra

Jaz aqui quem cansou

De sentir dor

E buscou como alívio

O acalento da morte gélida. 

Anúncios

2 comentários em “O fim é o remédio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s