Delírios de Ophélia

Silêncio e Solidão

Quantas vezes, após deixá-la,

Entro no meu carro

E no vazio que é minha vida sem você.

Acelero para longe do seu portão

Para que ele não veja minhas lágrimas

Mas se você me chama para entrar

Esforço-me para recursar

Não quero que me veja chorando…

Dia desses quase me flagrou,

Mas, com muito esforço,

Segurei as lágrimas

Colocando o rosto para fora da janela do seu quarto.

Mas eu volto para ficar mais algum tempo ao seu lado

Disfarçando o meu vazio

Pelo contentamento de sua presença

Para logo depois sentir tudo de novo:

Dor

Solidão

Vazio

Lágrimas…

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s