Delírios de Ophélia

A beleza que não é só minha 

​Diante de ti 

Sinto-me como um grão de areia 

No oceano 

Sou nada, um ninguém.

És tão grandiosamente bela

Sublime, fabulosa.

És uma vítima da fabulosidade, 

Chega a ser desumana de tão rara beleza.

O mar não seria belo, 

Se não existisse você.

Pois todo o encanto que ele ostenta 

É reflexo da beleza de teus olhos. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s