Delírios de Ophélia

Além da vida!

Eu sempre sonhava com você. Ainda que o nosso momento não fosse agora, eu nunca perdi a esperança, tampouco o sonho de tê-la, mais uma vez, em meus braços.

Na minha cabeça só um pensamento, no coração só um sentimento, a sensação de ainda possuí-la de novo e definitivamente era o que movia meus dias. Era ideia fixa, a razão de minha existência.

Não adianta mais falar de sentimentos, você já sabe de cor tudo o que eu sinto, conhece os meus sonhos mais profundos, os quais você chama de devaneios. Nem assim eu perdia a esperança de invadir novamente seus pensamentos e atingir o seu coração.

Embora nossos momentos fossem distintos eu acreditava fielmente que um dia viveríamos tudo o que sonhei para nós. Sei que você seria bem feliz ao meu lado, pois meu maior objetivo era este, fazer de você a mulher mais feliz do mundo. Cobrir você com todo esse amor que está aqui dentro de mim guardado e é só seu.

Mas as coisas mudaram agora, meu amor. Desculpa, mas infelizmente não poderemos mais viver esse sonho, não me importa se ele era só meu.

Daqui onde estou agora, eu posso te ver, mas não posso te tocar, não posso mais sentir o seu perfume, mas posso ver seus olhos tristes e seu sorriso desfeito. Eu sei que você gosta ou gostava (ainda não sei bem como lidar com isso) de mim, não como eu, mas tinha um sentimentozinho qualquer.

Agora você não pode mais me ver, me tocar, me sentir… Talvez, no máximo, sentir a minha presença. Pois eu sempre estarei perto de você, te cuidando, te protegendo, independente de onde eu esteja, sempre estarei olhando por você. Quem sabe eu ainda não possa sentir uma vez mais o seu perfume – aquele mesmo que sempre invadiu a minha alma.

Desculpa, mas não foi escolha minha não poder te fazer feliz, o destino quis assim. Pode ser que demore um pouco para você me esquecer ou se esqueça rapidamente que um dia me conheceu, ou quem sabe só restará o espanto da forma bruta com a qual eu fui arrancada da sua vida e da minha própria. As manchetes dos jornais serão capaz de apagar os momentos doces que tivemos? As lembranças se resumirão a fotos postada no facebook?

Só o tempo irá dizer!

Quis o destino que fosse assim, e eu parti sem ao menos me despedir. Perdão, mas foi tudo muito rápido. Por favor, segure essa lágrima que teima em cair. Eu estou bem agora! E estou aqui bem perto de você. Seguirei na minha missão de te guardar até o dia que você vir ao meu encontro.

Desculpa por não ter cuidado melhor de você enquanto estávamos no mesmo plano.

Desculpa o meu egoísmo, o meu ciúme e por todas às vezes que me magoei por não me dar atenção.

Desculpa por te amar tanto. Desculpa por ter transformado esse amor num fardo pesado para você. Desculpa por nunca ter desistido. Desculpa por ter partido antes de conquistá-la.

Quando esta carta chegar nas suas mãos eu já terei partido, mas independente do tempo, da distância eu te amarei por toda eternidade com a mesma força que te amei em vida!

Para encerrar esta carta, e como nós duas amamos música, escolhi uma que eu gostaria de ter feito para você:

“Eu te amo tudo,

Do nada ao infinito…
Todos os microssegundos,

Todo e cada milímetro..
Eu te amo tudo,

Oxigênio e gás carbônico..
Buraco negro e universo,

Animal de estimação.

Eu te amo tudo,

Me dê tua esmola,

Me dê teu ouro.
Teu ciume,

Teu desprezo,

Teu ódio e teu amor.
Eu te amo tudo e qualquer coisa é nenhuma coisa…
Pois toda coisa é,

Que eu teamo…

Tudo!..

Tudo,tudo,tudo…”

 

Amo você, além da vida, da morte e por toda eternidade!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s