Delírios de Ophélia

Lua Nua

Ela é minha lua nua

Ilumina a minha estrada

Um companhia que me esporeia e me retalha a alma.

Embora não me queira

Ela vai junto de mim, bem junto,

Dentro de mim

No caminho que trilho

Haja luz ou haja trevas

Seja povoada ou deserta a estrada…

Não me abandona, não me larga

Dorme comigo

Sonha comigo

Se me afasto um instante dela,

Ela volta logo, logo

Dizendo-me baixinho

“estou aqui”

Como um símio irritante que me faz caretas

E me vai às costas,

Pula na minha frente

Dança

Esperneia

Aguçando o meu instinto

Penetrando em minha alma

Alimentando a minha verve

Dilacerando o meu coração.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s