Delírios de Ophélia

A mulher dos meus sonhos

​Entrei e fui para a  sala

Cumprimentos distribuídos

Ouvi uma voz vinda do outro lado

Fui atrás daquele som

Não era uma voz,

Era um canto,

O canto da sereia.

Quando a vi

Paralisei

Fiquei estática, muda

Meu coração parou,

O ar faltou. 

Ela me sorriu 

Segurei para não cair

Sorria com os lábios mais lindos que eu já vira

Sorria com os olhos, 

Turmalina cintilante

Irradiando seu brilho para dentro do meu ser.

Era ela! 

Inegavelmente ela. 

A mulher dos meus sonhos era real

Mas não me pertencia… 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s